quinta-feira, 15 de junho de 2017

Plovdiv - Bulgária

Hoje vou falar sobre esse charme de cidade que é Plovdiv, segunda maior cidade da Bulgária, com cerca de 370 mil habitantes. A cidade tem uma história de mais de 6 mil anos e é uma das cidades européias que mais tempo vem sendo habitada continuamente. Como a grande maioria das localidades do mundo antigo, Plovdiv já pertenceu a diversos povos e impérios, incluindo os impérios grego, romano, bizantino e otomano. Foi conquistada pelo pai de Alexandre o Grande,  o rei Felipe II da Macedônia, em 342 AC, que deu o nome de Philippopolis  a cidade . Durante o império otomano, Plovdiv era chamada de Filibe e se tornou um grande centro de movimentos políticos nacionalistas búlgaros. Em 1878 Plovdiv foi libertada do domínio otomano, na batalha de Plovdiv, tornando-se independente e se unindo a Bulgária em 1885. 
Na época em que a Bulgária era parte da União Soviética, a cidade foi centro de vários movimentos democráticos para a derrubada do regime socialista em 1989.
Plovdiv é uma cidade muito charmosa, com um centro histórico composto de construções otomanas e igrejas ortodoxas. Na parte moderna da cidade existem muitos restaurantes e cafés, como em toda a Bulgária, os habitantes do local são muito simpáticos e muitos deles falam, além do idioma búlgaro, o turco também.
Plovdiv será a capital européia da cultura em 2019, juntamente com a cidade italiana de Matera.




Teatro romano construído pelo imperador Trajano no século II DC, com capacidade para 6 mil pessoas



O  teatro ainda está em atividade e lá acontecem concertos de música clássica 



Mural artístico cristão pintado em edificação da cidade


Uma das ruas da cidade antiga


Ruínas do odeon romano, espécie de anfiteatro para pequenos concertos e shows.


Construção otomana na cidade antiga


Igreja de Santa Marina


Rua da cidade antiga


Outro exemplo de construção otomana na cidade antiga


Ruínas da época bizantina


Interior da igreja de São Constantino e Elena, dedicada ao imperador Constantino e sua mãe Elena.



Abóboda da igreja de São Constantino e Elena


Igreja de Sveta Nedelya.
(Nos fundos dessa igreja tinha um padre fumando escondidinho :) :)  ) 



Ruínas da cidade antiga de Philippopolis


Rio  Maritsa que divide a cidade


Rua Knyaz Aleksandarexclusiva para pedestres, no centro, na parte moderna da cidade


Mesquita Dzhumaya, a segunda mais antiga da Europa


Praça na rua Knyaz Aleksandar na parte moderna da cidade


Uma das várias praças de Plovdiv


Parte moderna da cidade

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Centro da Girafa (Giraffe Centre)

Hoje vou mostrar aqui outro lugar maravilhoso que pude conhecer na minha viagem ao Quênia. O Centro da Girafa, está localizado há cerca de 5 quilômetros do centro de Nairóbi, nas proximidades do Parque Nacional. O local foi fundado por Jock Leslie-Melville, neto de um conde escocês, e sua esposa, para a preservação da raça  Rothschild de girafas, ameaçada de extinção (isso mesmo, as girafas possuem raças, não são uma espécie de uma raça só). O centro foi estabelecido em 1979, em terras de sua propriedade, onde até hoje funciona. Em 1983, após o programa de preservação da Rothschild ser um sucesso, com vários exemplares sendo reintegrados à natureza, em parques nacionais no Quênia, o centro de visitantes foi aberto.
O centro de visitantes conta com observatório, onde o visitante paga um ingresso e recebe uma porção de ração, e é possível alimentar as girafas. No local, além de interagir com as girafas (que são animais extremamente dóceis e delicados) e os javalís, que ficam soltos e são amigáveis, o visitante visita uma pequena exposição e assiste a uma curta palestra sobre a  importância da preservação das girafas e da vida selvagem no Quênia.
Com o status de Organização Não Governamental (ONG), o Centro da Girafa se mantém com a cobrança de ingressos, com a venda de souvenirs em sua lojinha e com as doações de pessoas interessadas em contribuir com a preservação desses animais.
Além de receber os turistas e visitantes, o Centro da Girafa recebe, gratuitamente, crianças provenientes de escolas quenianas,a fim de ensinar às novas gerações, a importância da preservação da vida selvagem para o planeta e para a humanidade.
O centro da Girafa abre todos os dias, incluindo feriados e finais de semana, de 9 as 17 horas. Para quem tiver a oportunidade de visitar esse país, com sua natureza exuberante, não deixe de conhecer o Centro da Girafa.




Placa na entrada do centro descrevendo seu nome oficial e missão


Observatório das girafas 

No observatório as girafas ficam soltas na natureza e se dirigem ao local onde interagem com os visitantes que ficam em um plano mais alto

Visitante alimentando uma das girafas

O famoso beijo da girafa, o visitante coloca um pedaço de ração na ponta dos lábios e a girafa o retira delicadamente, sem machucar o visitante

Palestra sobre a vida selvagem e sua preservação

Javalis soltos e interagindo com visitantes e girafas

Exemplo de artesanato feito em madeira vendido no local

Girafa esperando alimentação dos visitantes

Girafas soltas na natureza, próximas do centro de visitantes



domingo, 26 de fevereiro de 2017

Tel Aviv - Israel

Considerada pela comunidade internacional como a oficial capital de Israel, Tel Aviv é a segunda maior cidade do país, com uma população de cerca de 400 mil habitantes e está situada na costa do Mar Mediterrâneo. A cidade foi fundada em 1909, nas proximidades da cidade árabe de Jaffa, mas em 1950, com o crescimento das duas cidades, Jaffa acabou por se juntar a Tel Aviv e formaram um só município. Tel Aviv é um importante centro econômico e financeiro, sendo a segunda mais importante cidade do oriente médio, depois de Dubai.
A capital israelense possui a maior concentração do mundo de edifícios de estilo Bauhaus, considerada patrimônio mundial pela Unesco em 2003.
Conhecida como a cidade que nunca dorme, Tel Aviv é uma cidade vibrante, com uma vida noturna movimentada com diversas atividades culturais e sociais.
Particularmente amei Tel Aviv ,  é uma cidade super alto astral, com ótimas praias, organizada e civilizada, onde os animais de estimação podem frequentar shoppings centers e restaurantes. Outro ponto bastante positivo, não só de Tel Aviv mas de todo Israel, é que a grande maioria das pessoas fala inglês. Se tem uma cidade que eu me surpeendi muito em conhecer no mundo foi Tel Aviv! Maravilhosa!


Vista geral de Tel Aviv

Vista Geral de Tel Aviv

Calçadão de Tel Aviv

Praia em  Tel Aviv

Praia e hotéis a beira mar

Vista da avenida que fica a beira mar

Exemplo de ateliê de artes


Um dos pratos típicos do local: sopa de beterra! Deliciosa.

Exemplo de restaurante no bairro cultural da cidade

Antiquário interessante, tem até vestidos de noiva

Tem até uma boutique chamada Aline :)

sábado, 21 de janeiro de 2017

Rio Jordão - Israel

Hoje vou comentar sobre esse lugar tão importante religiosamente para os cristãos: O Rio Jordão (que significa lugar onde se desce ou aquele que desce), situado na Palestina, local em que João Batista batizou seu primo Jesus.
O rio nasce nas encostas do monte Hermon, passa pelo Mar da Galiléia e deságua no Mar morto .  Na maior parte de seu curso o rio encontra-se abaixo do nível do mar e a salinidade aumenta a medida que se aproxima do Mar Morto, cuja salinidade é 10 vezes maior que a média dos oceanos. O rio Jordão divide em grande parte a fronteira entre Israel e Jordânia. Por causa do intenso uso de suas águas para o consumo humano,  a construção de barragens para a geração de eletricidade e  as atividades agrícolas , o Jordão já perdeu 90 % de suas águas.
O Jordão é citado várias vezes na Bíblia, mais ou menos 175 vezes no velho testamento e 15 vezes no novo testamento. Os fatos mais importantes são com certeza a travessia dos judeus, comandados por Josué para derrotarem Jericó, e o batismo de Jesus Cristo.
Atualmente o melhor lugar para se apreciar o rio Jordão é em um local chamado Yardenit , cujas águas vem do Mar da Galiléia para o Jordão, e onde é possível apreciar a paz desse lugar sagrado e até mesmo se batizar. O batismo geralmente é feito em pequenos grupos ou individualmente. Para se batizar o visitante deve comprar ou alugar o kit de batismo, que consiste em uma bata de batismo, toalha, certificado de batismo e acesso aos vestiários e duchas para um banho quente após o ritual. Para quem quiser comprar o kit, o mesmo sai por 25 dólares. Já o aluguel custa 10 dólares. Para os que desejarem a presença de um pastor para a realização do batismo, é necessário o agendamento prévio, pois o local não possui pastores, a fim de que se possa solicitar a presença de um pastor da denominação desejada pelo cliente. Esse serviço não tem custo, no entanto, a administração de Yardenit sugere alguma doação direta ao pastor convocado. Para quem quiser passar o dia lá simplesmente apreciando a paisagem do rio Jordão o lugar conta com restaurante e loja de souvenir.





A linda vista do Rio Jordão, um dos meus locais favoritos em Israel, um local de muita paz




Leito do Rio Jordão 



A natureza presente nas margens do rio 



Entrada para o local de batismo 



Local de batismo no rio Jordão



Cercados onde são realizados os batismos 



Pessoas se preparando para o batismo 



Mais um pouco do leito do Rio Jordão 



No lugar existe um muro onde essa mesma passagem da Bíblia é escrita em várias línguas e, claro, não poderia faltar em português